Início > Concurso elegera projeto de construcao de jardim da geodiversidade
Data de Publicação 15/08/2017 - 22:15 Atualizado em 15/08/2017 - 22:15

Concurso elegerá projeto de construção de Jardim da Geodiversidade

O modelo de Jardim Geológico será implantado no Campus Caçapava do Sul
Por Franceli Couto Jorge

A comunidade poderá eleger o projeto de Jardim da Geodiversidade que será construído na Universidade Federal do Pampa (Unipampa). A elaboração do espaço, que se localizará no gramado de acesso ao Campus Caçapava do Sul, conta com a parceria da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Para votar na melhor proposta é necessário acessar o formulário on-line disponível em: https://goo.gl/UKkJid, até dia 31 de agosto.

O jardim, que exporá amostras de rochas, será aberto à comunidade, tornando-se um novo atrativo para a população do município. A iniciativa surgiu após Caçapava do Sul ser considerada, em 2015, a Capital Gaúcha da Geodiversidade. A proposta integra o projeto “Geoturismo e interpretação do patrimônio natural da Campanha Gaúcha como um novo aporte ao desenvolvimento regional sustentável”, que busca o desenvolvimento da região do Corede Campanha por meio do turismo e da cultura. O projeto é coordenado pelo professor Felipe Guadagnin, do Campus Caçapava do Sul.

De acordo com o docente, “o território de abrangência do Corede Campanha possui características geológicas e geomorfológicas únicas, com grande potencial para o geoturismo”. Quanto ao geoturismo, Guadagnin explica que se refere a “um turismo de conhecimento, que se propõe a respeitar, sustentar e incrementar as culturas locais, desenvolvendo economia endógena. O geoturismo proporciona uma viagem ao longo da evolução do Planeta Terra e dos organismos no tempo geológico, destacando-se entre as formas de turismo de natureza e de aventura”.

Confira cada um dos projetos e faça sua escolha:

Proposta 1: Contempla caminhos sinuosos/orgânicos em torno de algumas ilhas em que se encontrarão as amostras de rochas. Essas ilhas serão preenchidas por pedriscos e vegetação. Haverá, além do caminho principal, um secundário, que proporcionará uma vista para todo o conjunto de rochas, com o prédio da Unipampa ao fundo. No centro, estarão dispostas algumas rochas sem a demarcação de uma ilha, deixando um traço mais natural. Todas as rochas estarão dispostas em uma ordem cronológica para a transição e visualização didática. Os caminhos poderão ser de madeira, piso intertravado, pedriscos ou brita.

Proposta 2: Consiste em algumas faixas de caminho paralelas que conduzirão, nas extremidades, à visualização das amostras de rochas. Os caminhos estarão espaçados entre si, e conduzem a um eixo central que se encontra no interior do hall do prédio, no qual poderá conter outras amostras de rochas sensíveis às intempéries. Em cada faixa de caminho, o piso intertravado terá uma pigmentação semelhante à cor das rochas distribuídas nas suas extremidades (sobre o piso ou sobre o solo). Portanto, a transição se dará no sentido norte-sul para adentrar ao jardim, e leste-oeste para observar as rochas. Nas extremidades também há bancos e vegetação rasteira.

Proposta 3: Centraliza as amostras de rochas de forma geométrica em um círculo dividido conforme a cronologia destas (como um “relógio geológico”), seguindo o piso intertravado com uma pigmentação semelhante às cores das rochas distribuídas em cada fatia. Nesta proposta, os bancos estarão no interior do círculo ou ao longo do caminho de acesso ao centro, que o ligará de forma diagonal. A vegetação será rasteira no entorno do círculo.Parte inferior do formulário